Meu espaço

Aqui nada acontece (às vezes)

Aventurando-me com bovídeos

Venho aqui contar um breve causo que me ocorreu na quarta-feira, dia 14 de outubro de 2009.
Após uma afadigosa aula de latim na faculdade, o sol a pino e o céu sem nuvens deixava o clima extremamente quente. Para ir até minha casa tenho de passar por um loteamento dotado de muitos terrenos baldios, e neles por diversas vezes um proprietário de uma quinta das proximidades utiliza o local para seu gado pastar.
Eis que retornava para casa e lá estava o gado a pastar e estercar as ruas da cidade. Como permitem que o gado ande pela área urbana? Só aqui onde vivo mesmo.

Loteamento
O loteamento que citei, em foto datada de 2008. O lugar é cheio de lixo e carcaças de animais mortos, inclusive de alguns novilhos que ali faleceram.

Pois bem, passo ao lado de bois, vacas e novilhos a ruminar quando adiante, à minha esquerda, vejo um mamífero artiodáctilo ruminante a mugir em alto tom. Acho que neste momento o leitor já deve imaginar o evento ocorrido.
Era um boi com grandes e pontudos cornos, de pelagem marrom e nem era assim tão grande… não era um brutamontes como um desses nelores que costumamos ver em leilões de gado reprodutor.
Como estava dizendo, vi ali o boi a mugir. Ele estava de costas para mim naquele momento. Ele mugia até que passei "ao lado" (uns 20 m de distância) dele, quando repentinamente ele parou de "bradar" quando me avistou. Naquele momento eu não o fitava, só caminhava rumo a minha casa. Como que num mau pressentimento olhei para trás sem um motivo específico, quando surpreendi-me com o boi a mugir ainda mais alto que dantes e a se aproximar de mim imprimindo certa velocidade em suas passadas! Assustado, pus-me a correr!
Corri por alguns metros apenas e voltei a olhar para trás, e lá vinha o ruminante a avançar! Foi aí que apertei o passo e corri o mais que pude…
Quando a uns 300 m de distância e já bastante ofegante, observo a minha retaguarda novamente para assegurar que estou em segurança. Ao longe vejo o boi parado ao lado de uma montanha de terra por onde passei, onde tratores estavam a escavar a rua para por galerias pluviais. Creio que foi este obstáculo que deteve o avanço do animal.
A partir daí só caminhei até minha casa rindo de meu infortúnio.

É isso! Espero que tenham se divertido com minha desgraça… é só rindo para não chorar!
Anúncios

18 de outubro de 2009 Posted by | Vida | , | Deixe um comentário